Navigation – Plan du site
Imagens comentadas

Temas e cartografias para uma agenda de pesquisa na América do Sul

Thèmes et cartographies pour un programme de recherche en Amérique du Sud
Topics and mappings for a research agenda in South America
Aldomar A. Rückert

Texte intégral

1O Mercosul é uma grande região do mundo que oferece possibilidades de comparação das mais pertinentes com a União Européia em termos de gestão do território respeitando-se as especificidades da cada um destes grandes espaços. A ASEAN, a ALCA e nem tampouco outras áreas de integração mundial mostram uma importância equivalente em importância em relação à União Europeia para as questões de integração política, redes de transporte (como é o caso dos eixos da IIRSA na América do Sul) ou de planejamento territorial, sendo a IIRSA e o FOCEM seus mais importantes instrumentos. Se a OCDE oferece ferramentas estatísticas e cartográficas úteis para comparação das desigualdades regionais da União Européia e da ALCA ou da Ásia Pacífico, nada existe atualmente para a América do Sul neste sentido.

2Não se constitui em uma novidade o fato que, para a organização de mapas temáticos em escala sul-americana ou do Mercosul, há grandes dificuldades técnicas que ainda necessitam de soluções. A incompatibilidade das metodologias de pesquisa dos dados estatísticos nacionais bem como suas periodicidades em cada país é o principal obstáculo para a composição de cartografias de caráter multinacional na América do Sul.

3Tradicionalmente a cartografia tem um papel muito importante nos cenários de integração territorial e de gerenciamento do território em escalas nacionais. Porém a análise territorial sul-americana requer escalas com grandes detalhes para representação de dados, o que é uma grande lacuna técnica atualmente na América do Sul. Inexiste aqui um organismo central de estatísticas não havendo padrões de coleta de dados relativamente homogêneos, em que pesem esforços e negociações já iniciados nos anos noventa entre os órgãos estatísticos nacionais.

4Esforços tem sido empreendidos pelo Grupo Mercado Comum - órgão executivo do MERCOSUL- que mantêm a Reunião Especializada de Estatísticas do MERCOSUL (REES) com o objetivo principal de elaborar um Plano Estratégico Estatístico do MERCOSUL que permita a adoção de um Sistema Estatístico Harmonizado no âmbito do bloco. Entretanto as estatísticas nacionais dos Estados-Membros do Mercosul ainda necessitam ser consultadas e processadas de acordo com as metodologias nacionais o que dificulta a confecção de cartografias supranacionais. A União Europeia, através do órgão Eurostat, com sede em Luxemburgo, padroniza a coleta de dados nacionais fornecendo uma nomenclatura de níveis espaciais homogêneos para todo o território da União Europeia.

  • 1 A atividade foi desenvolvida durante estágio de pós-doutorado em 2011 nos laboratórios UMS-RIATE e (...)

5Realizou-se um ensaio1 empregando-se as nomenclaturas NUTS da União Europeia para o Mercosul + Bolivia e Chile (sem a Venezuela nesta representação) a fim de organizar cartografias multinacionais com riqueza de detalhes (RÜCKERT, LAFARGUE, 2011. Mapas 1, 2 e 3). Foi possível adotar-se os níveis de divisões político-administrativos com razoável semelhança entre si quanto à dimensão espacial das unidades quer seja para o nível II ou III. Assim, tem-se para os países do Mercosul (não incluída a Venezuela) setenta e cinco (75) unidades estatísticas em nível 2, isto é, províncias, estados, regiões e departamentos e mil, duzentos e cinquenta e nove (1259) unidades estatísticas menores, isto é departamentos ou partidos, micro regiões geográficas, departamentos e províncias conforme as variações em cada país.

6Empregou-se os níveis 2 e 3 cartografando-se 1.249 dados de população para cada período censitário (1990, 2000 e 2010), utilizando-se as estatísticas nacionais. O resultado desta cartografia multinacional é que tornaram-se evidentes tanto a concentração da população em cada país mas especialmente nas micro-regiões na costa litorânea do Brasil, na Bacia do Prata e na linha dos Andes bem como a região multinacional denominada Núcleo Geoeconômico do Mercosul localizada na macrorregião da Bacia do Prata, isto é a área diagonal que vai de Belo Horizonte-Rio de Janeiro à Buenos Aires-Córdoba e Santiago do Chile.

Figura População total do Mercosul, Bolívia e Chile, 1990

Figura População total do Mercosul, Bolívia e Chile, 2000

Figura População total do Mercosul, Bolívia e Chile, 2010

Haut de page

Notes

1 A atividade foi desenvolvida durante estágio de pós-doutorado em 2011 nos laboratórios UMS-RIATE e UMR- Géographie Cités da Universidade Paris 7 Denis Diderot, com apoio da CAPES.

Haut de page

Pour citer cet article

Référence électronique

Aldomar A. Rückert, « Temas e cartografias para uma agenda de pesquisa na América do Sul », Confins [En ligne], 25 | 2015, mis en ligne le 13 novembre 2015, consulté le 27 juillet 2017. URL : http://confins.revues.org/10597 ; DOI : 10.4000/confins.10597

Haut de page

Droits d’auteur

Licence Creative Commons
Confins – Revue franco-brésilienne de géographie est mis à disposition selon les termes de la licence Creative Commons Attribution - Pas d’Utilisation Commerciale - Partage dans les Mêmes Conditions 4.0 International.

Haut de page
  • Logo Revue soutenue par l’Institut des sciences humaines et sociales du CNRS
  • Logo DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • Logo Index Latindex
  • Logo IHEAL (Institut des Hautes Études de l'Amérique Latine)
  • Logo CREDA (Centre de recherche et de Documentation sur les Amériques)
  • Logo USP (Universidade de São Paulo)
  • Revues.org