Navigation – Plan du site

Editorial do número 29

Editorial number 29
Éditorial du numéro 29
Hervé Théry et Neli Aparecida de Mello-Théry
Traduction(s) :
Editorial du numéro 29

Texte intégral

1Uma novidade acompanha a publicação deste número 29 da Confins, o lançamento da página da revista no Facebook, cujo endereço é https://www.facebook.com/​Confins-683082051854310. Inaugurada em 2 de dezembro, com um extrato do editorial e a capa do número 28, ela foi enriquecida no dia 12 de dezembro com a capa do número 29, que estava sendo diagramado.

2Esta criação deveu-se a constatação de que muitos leitores chegaram à Confins pelo Facebook. Em novembro de 2016 (mês em que a revista recebeu 50,190 visitas), entre os links para páginas externas (exceto motores de pesquisa) http://m.facebook.e http://m.facebook.com já estavam nos 2º e 3º lugar, sendo superados apenas por googleweblight.com. Era, portanto, necessário reconhecer o óbvio e abrir este novo acesso à revista, onde procuraremos publicar notícias de interesse para os nossos leitores entre as datas de publicação dos números.

A página da revista no Facebook

A página da revista no Facebook

3Este número é, mais uma vez, marcado pela diversidade de temas e abordagens, uma característica marcante da revista, a qual manteremos.

4A primeira parte tem dez itens que podem ser caracterizados como um zoom do geral de grandes áreas para o específico do detalhe regional. Os dois primeiros artigos traçam comparações entre países, França e Brasil em “Conflitos e organização do espaço público em processo de tomada de decisão na França e no Brasil: a negociação em áreas protegidas” escrito por Véronique van Tilbeurgh e Guilherme Borges da Costa, e, Brasil e Marrocos em “As políticas de apoio à agricultura familiar no Brasil e em Marrocos: alguns elementos de comparação” por Nicolas Faysse Philippe Bonnal e Eric Sabourin.

5A escala, em seguida, é a do país para “Quem são? Para onde vão?: o segmento aéreo regional no Brasil”, de Ana Paula Camilo Pereira e a da região para “Parâmetros morfológicos e morfométricos como indicadores da magnitude das corridas de detritos na Serra do Mar Paulista”, de Vivian Cristina Di Bianca Vieira Carvalho e Marcelo Fischer Gramani.

6A focal se reduz um pouco em “A gestão ambiental nas paisagens da bacia do Araripe no Estado do Ceará”, Frederico de Holanda Bastos, Abner Monteiro Nunes Cordeiro, Francisco Edigley Macedo e Ruy Emmanuel Silva de Azevedo, e os “Impactos socioambientais da certificação fairtrade nas cooperativas de produtores familiares de café e manga no Brasil”, de Guilherme José Ferreira de Araújo, Daniel Magalhães e Edvânia Torres Aguiar Gomes. E mais local ainda para as “Comunidades tradicionais quilombolas do nordeste de Goiás: quintais como expressões territoriais”, de Maria Geralda de Almeida.

7É, finalmente, a escala urbana e até mesmo intraurbana que é adotada para os três últimos artigos desta seção, “Cidades médias na Amazônia brasileira: da centralidade econômica à centralidade política de Marabá e Santarém (Estado do Pará)” de Deborah Aquino Nunes, Saint-Clair Cordeiro da Trindade Júnior e Gesiane Oliveira da Trindade, “Articulação e integração metropolitana, o papel das cidades pequenas na região de Campinas (SP)”, de Orlando Moreira Jr e “Cadastro municipal, subsídios do geoprocessamento para a gestão pública – o exemplo do distrito de Warta, Londrina (PR)”, de Valmir de França, Ângela Canabrava Buchmann, Elizabeth Aparecida Alves, Alan Alves Alievi e José Paulo P. Pinese.

8A segunda parte do número é formado pelos sete artigos e duas resenhas do dossiê “Rondônia, espaço de grandes transformações”, coordenado por Ricardo Gilson da Costa Silva. Combinando abordagens de geografia regional, humana e física, o dossiê dá uma imagem atual, contrastada e matizada um dos Estados mais jovens no Brasil.

9A introdução de Ricardo Gilson da Costa Silva indica claramente suas intenções e a progressão de exposição, que começa com a “Política de regularização fundiária em Rondônia: limitações do programa terra legal e expectativas socioterritoriais”, de Alyson Fernando Alves Ribeiro, Ricardo Gilson da Silva Costa e Josefa de Lisboa Santos e continua com o “Novo Cenário no Vale do Guaporé: uma leitura geográfica sobre os impulsos econômicos da pecuária e sua influência na paisagem” de Josélia Fontenele Batista, Ana Maria Muratori e Maranei Rohers Penha e “Perspectivas ribeirinha sobre os impactos da construção de usinas hidrelétricas no rio Madeira em Rondônia”, de Steven J. Rainey e Maura C. Araújo Rainey.

10O meio ambiente e os riscos que o ameaçam são levados em conta pelos artigos seguintes, “A pluviosidade na Amazônia meridional: variabilidade e teleconexões extra-regionais”, de Rafael Rodrigues da Franca e Francisco de Assis Mendonça, “Análise geossistêmica e quantificação de perda de solo da bacia do Rio Mutum-Paraná (RO)”, de Michel Watanabe, Fabiano Antonio de Oliveira, Dorisvalder Dias Nunes e Tatiane Emilio Checchia, bem com “Uso do sensoriamento remoto e geoprocessamento no mapeamento de subzonas geoambientais das terras do município de Cujubim (RO), como subsídio a avaliação da aptidão agrícola”, de Siane Cristhina Pedroso Guimarães e Jairo Roberto Jiménez-Rueda e “Velocidade de infiltração em área pastagem degradada e floresta natural no município de Porto Velho (RO)”, de Eliomar Pereira da Silva Filho.

11O dossiê termina com as resenhas “Porto Velho, expressões de uma cidade centenária”, de Luís Augusto Pereira Lima e Amanda Michalski, e “Rondônia - mutações de um território federal na Amazônia brasileira”, de Tiago Silva Roberto Santos, Carlos Alberto de Almeida Ricarte e Francilene Sales da Conceição.

12A terceira e última parte do número é aberta por uma homenagem a um grande geógrafo tropicalista recentemente desaparecido, “Jean-Pierre Raison (1937-2016)”, por Hervé Théry.

13A seção Imagens comentadas é dedicada a um artigo de Karol Duque Ramírez, “Uma análise dos fluxos migratórios e dinâmicas do deslocamento forçado na Colômbia para o período 2000-2007”, que faz uma análise detalhada de uma das piores tragédias que a América do Sul conheceu nas últimas décadas, o que só se pode desejar que seja realmente fechada pelos recentes acordos de paz.

14A rubrica Projeto de pesquisa apresenta trabalho, ainda no estágio inicial, de Gullit Torres Dias, “Mover-se na Metrópole de Piratininga: as políticas públicas de mobilidade para a Grande São Paulo”.

15Finalmente duas resenhas analisam “A Geografia, surgimento de um campo científico”, de Laura Péaud e “Pedro Teixeira, a Amazônia e o Tratado de Madri”, de Sérgio Eduardo Moreira Lima e Maria do Carmo Strozzi Coutinho

16Boa leitura a todos,

17Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello-Théry

Haut de page

Table des illustrations

Titre A página da revista no Facebook
URL http://confins.revues.org/docannexe/image/11358/img-1.jpg
Fichier image/jpeg, 66k
Haut de page

Pour citer cet article

Référence électronique

Hervé Théry et Neli Aparecida de Mello-Théry, « Editorial do número 29 », Confins [En ligne], 29 | 2016, mis en ligne le 17 décembre 2016, consulté le 28 juin 2017. URL : http://confins.revues.org/11358

Haut de page

Auteurs

Hervé Théry

Articles du même auteur

Neli Aparecida de Mello-Théry

Articles du même auteur

Haut de page

Droits d’auteur

Licence Creative Commons
Confins – Revue franco-brésilienne de géographie est mis à disposition selon les termes de la licence Creative Commons Attribution - Pas d’Utilisation Commerciale - Partage dans les Mêmes Conditions 4.0 International.

Haut de page
  • Logo Revue soutenue par l’Institut des sciences humaines et sociales du CNRS
  • Logo DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • Logo Index Latindex
  • Logo IHEAL (Institut des Hautes Études de l'Amérique Latine)
  • Logo CREDA (Centre de recherche et de Documentation sur les Amériques)
  • Logo USP (Universidade de São Paulo)
  • Revues.org