Navigation – Plan du site
Resenha / Compte-rendu

Atlas mundial da saúde

Atlas mondial de la santé
Ligia Vizeu Barrozo
Référence(s) :

Éditions Autrement, Paris, 2008: 80 p. ISBN: 978-2-7467-1219-5

Texte intégral

1O Atlas é de autoria de Zoé Vaillant, mestre de conferências da Universidade Paris-Ouest-Nanterre-La Défense e membro do laboratório Espaço, Saúde e Territórios e de Gérard Salem, professor de geografia da saúde da Universidade Paris-Ouest-Nanterre-La Défense e coordenador do laboratório Espaço, Saúde e Territórios. Cécile Marin, responsável pela cartografia do Atlas, é geógrafa-cartógrafa, formada pela Universidade d’Orléans.

2O Atlas mondial de la santé faz parte da série Collection Atlas/Monde. Este volume inclui 43 mapas-múndi, com informações por país. Outros 22 mapas representam taxas de mortalidade e outros dados de saúde para a França em comparação aos encontrados para a Europa e cinco mapas da Île-de-France ilustram as diferenças de mortalidade entre centro e periferia. São ainda apresentados mapas dos Estados Unidos e suas taxas de obesidade, mapas da África para ilustrar a distribuição dos episódios de ebóla na fronteira Congo-Gabão, o risco da doença do sono na Costa do Marfim e a relação entre malária e urbanização no Senegal. Outros 35 gráficos e cartogramas acompanham os textos, complementando as informações cartografadas. Todos os mapas e gráficos são coloridos, de excelente qualidade gráfica. Cada sub-capítulo é iniciado com um texto que relaciona o sub-tema ao tema central do capítulo, justificando sua escolha e conduzindo a análise.

3Diferente da cartografia das doenças, clássica na Geografia Médica, o Atlas mondial de la santé propõe a análise da saúde das populações como forma de observar as grandes mudanças da organização do mundo e das sociedades. Tal leitura é possível graças à organização da obra e à inteligente escolha dos temas mapeados. Para os autores, a saúde é o observatório do mundo, pois as disparidades espaciais da saúde refletem as disparidades de níveis de desenvolvimento, as grandes estruturas sociais e territoriais das sociedades. Ao mesmo tempo em que a mundialização tem um impacto sobre a saúde das populações, o nível de saúde de cada país contribui para a sua construção e consolidação ou, ao contrário, para o seu enfraquecimento. Dessa forma, o Atlas não excede em mapas e gráficos, ao contrário, apresenta o necessário para que se visualize sua hipótese central. Esta obra traz uma nova perspectiva à geografia da saúde. Ao mesmo tempo em que utiliza dados e cartografia numa abordagem pragmática, consegue mostrar que a saúde é ao mesmo tempo causa e consequência do desenvolvimento, posicionando-se criticamente.

4De acordo com os autores, existem cinco grandes determinantes da saúde mundial. Embora inicialmente previsível, a transição epidemiológica não ocorreu da forma esperada, revelando-se muito mais complexa do que o suposto. Mesmo nos países onde predominam as doenças infecciosas, 79% das mortes imputáveis às doenças crônicas já ocorrem nos países em desenvolvimento. Ou seja, as doenças crônicas não são mais exclusivas do desenvolvimento e da riqueza, mas consequências da urbanização e da profunda modificação do modo de vida. Alguns países convivem com doenças infecciosas como malária, tuberculose e AIDS e com as doenças crônicas como as cardiovasculares e os diversos tipos de câncer. Alguns indicadores de saúde como esperança de vida e mortalidade infantil também seguiram percursos diferentes devido a fatos inesperados como a pandemia de AIDS e a epidemia mundial de obesidade. Os mapas apresentados no Atlas revelam as trajetórias e as mudanças das sociedades atuais.

5O Atlas, em formato 17 x 24,5 cm, encontra-se dividido em sete partes:

6INTRODUÇÃO

  1. CINCO GRANDES DETERMINANTES DA SAÚDE

  • A disponibilidade alimentar;

  • O analfabetismo e a escolarização;

  • A higiene, o acesso à água e aos recursos de saneamento;

  • Os gastos da saúde;

  • A oferta de cuidados.

  1. QUE MUNDIALIZAÇÃO DA SAÚDE?

  • O prolongamento da duração da vida;

  • Um mundo que envelhece?

  • A mortalidade infantil em recuo?

  • A mortalidade materna, reflexo da condição das mulheres;

  • A contracepção e o desenvolvimento;

  • O aleitamento, uma prática no centro de nossas culturas;

  • Magreza versus obesidade?

  • A epidemia mundial da obesidade;

  • Das infecciosas às crônicas?

  • A malária e a tuberculose: duas grandes doenças infecciosas;

  • A AIDS: geografia de uma pandemia;

  • As doenças cardiovasculares: doenças de ricos?

  • Os cânceres: um fardo mundial;

  1. ELOS, RUPTURAS E INTERDEPENDÊNCIAS

  • A gripe aviária, uma pandemia potencial;

  • O turismo medicinal;

  • Mortalidade evitável 1: as doenças cardiovasculares;

  • Mortalidade evitável 2: o câncer do pulmão;

  • Mortalidade evitável 3: o câncer da mama;

  • Ebola à prova da fronteira Congo-Gabão

  • A doença do sono, despertar de uma epidemia africana;

  1. MUTAÇÕES DOS TERRITÓRIOS, MUDANÇAS SANITÁRIAS

  • A mortalidade na França nos últimos dois séculos;

  • A mortalidade na França de 1975 a 2001: novas segregações;

  • A mortalidade na Île-de-France: centros versus periferias;

  • Existe um fator urbano da saúde?

  • A difusão da obesidade na França;

  • A difusão do câncer de pulmão entre as mulheres na França;

  • Urbanização e malária em Pikine (Senegal)

7CONCLUSÃO

  • A saúde, um investimento durável

8ANEXOS

  • A questão dos dados e da cartografia

  • Glossário e acrônimos

  • Bibliografias e fontes

  • Índex

  • Agradecimentos

9Outra resenha, de Catherine Didier-Fevre, encontra-se disponível no site http://www.clionautes.org/​spip.php?article2147, acessado em 27/04/2009.

Haut de page

Table des illustrations

URL http://confins.revues.org/docannexe/image/5883/img-1.jpg
Fichier image/jpeg, 1,2M
URL http://confins.revues.org/docannexe/image/5883/img-2.jpg
Fichier image/jpeg, 294k
Haut de page

Pour citer cet article

Référence électronique

Ligia Vizeu Barrozo, « Atlas mundial da saúde », Confins [En ligne], 6 | 2009, mis en ligne le 15 juin 2009, consulté le 29 avril 2017. URL : http://confins.revues.org/5883

Haut de page

Auteur

Ligia Vizeu Barrozo

Departamento de geografia, USP lija@usp.br

Haut de page

Droits d’auteur

Licence Creative Commons
Confins – Revue franco-brésilienne de géographie est mis à disposition selon les termes de la licence Creative Commons Attribution - Pas d’Utilisation Commerciale - Partage dans les Mêmes Conditions 4.0 International.

Haut de page
  • Logo Revue soutenue par l’Institut des sciences humaines et sociales du CNRS
  • Logo DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • Logo Index Latindex
  • Logo IHEAL (Institut des Hautes Études de l'Amérique Latine)
  • Logo CREDA (Centre de recherche et de Documentation sur les Amériques)
  • Logo USP (Universidade de São Paulo)
  • Revues.org